Análises físico-químicas de cervejas do tipo American Light Lager comercializadas em cidades da Zona da Mata Mineira

Giovanna Ladeira Marques, Nickolas F Lopes, Thyago Cunha, Samuel Ferreira Ferreira da Silva

Resumo


Investigou-se as características físico-químicas de 21 cervejas, de 7 marcas diferentes, e a sua adequação com os padrões estabelecidos pela legislação vigente. As análises feitas foram baseadas de acordo com o descrito pelo Instituto Adolfo Lutz. Ao analisar o pH das amostras, obteve uma média de 4,62 e notou que as amostras encontravam dentro dos valores estabelecidos, a acidez obteve valores de 0,3407% e 0,1703%, respectivamente, os maiores e menores valores encontrados, assemelhando ao encontrado por outros autores. 57,14% das amostras apresentou densidade dentro os limites ideias por legislação, tendo 42,86% dos resultados abaixo do indicado, porém semelhante ao encontrado em analises por outros autores, os valores de extrato em 100g da solução, obteve média de 1,526g e no extrato seco os valores encontrados estiveram dentro do estabelecido por legislação. E, por fim, averiguo os valores de maltose nas amostras e todas estavam de acordo com os publicados em demais estudos. Com isso, constatou que as cervejas avaliadas neste estudo estavam de acordo com os valores estipulados, sendo apenas os valores de densidade relativa encontrava-se levemente alterados, porém semelhantes a resultados expressos na literatura.


Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, D. S.; BELO, R. F. C. Análises físico-químicas de cervejas artesanais e industriais comercializadas em Sete Lagoas-MG. Revista brasileira de ciências da vida, v. 5, n. 5, p. 16, 2017.

ALVES, L. M. F. Análise físico-química de cervejas tipo pilsen comercializadas em Campina Grande na Paraíba. 2014. 43 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Química Industrial) – Univesidade Estadual da Paraíba, Centro de Ciências e Tecnologia, 2014.

ALVES, M. C. Teste t de Student. Seção Técnica de Informática. Universidade de São Paulo, USP, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”. Piracicaba, 15 p. 2017.

AMERICAN SOCIETY OF BREWING CHEMISTS (ASBC). The science of beer. Minnesota, 2019. Disponível em: <:https://www.asbcnet.org:>. Acesso em 18 jun. 2019.

ANVISA. Consulta pública n. 69, de 13 de julho de 2010. Dispõe sobre a aprovação de uso de aditivos alimentares e coadjuvantes de tecnologia para fabricação de cervejas. Brasília – DF, jul 2010.

ARAÚJO, J. F. R.; COSTA, C. H. C.; MARTINS, J. A. L.; COELHO, S. C. Determinação do extrato real e primitivo de cervejas pasteurizadas do tipo pilsen comercializadas na cidade de São Luís-MA. Revista Latino-Americana de Cerveja, v. 1, n. 1, p. 114, 2017.

ARÊDES, S. C. L.; OLIVEIRA, C. D.; SILVA, J. F.; CARVALHO, R. M. M. Índice de acidez em cerveja. Revista Científica Univiçosa, Viçosa, MG, v. 8, n. 1, p. 515-520, 2016.

BEER JUDGE CERTIFICATION PROGRAM (BJCP). Diretrizes de Estilo para Cerveja do Beer Judge Certification Program (BJCP). [S.l.]: BJCP, 2015.

BONACCORSI, M. M. Guia de estilos de cervejas: BJCP 2015. [S.l.: s.n.], 2016.

BRANCO, C. A.; VALDIVIA, A. D. C. M.; SOARES, P. B. F.; FONSECA, R. B.; FERNANDES NETO, A. J.; SOARES, C. J. Erosão dental: diagnóstico e opções de tratamento. Revista de Odontologia da UNESP, v. 37, n. 3, p. 235-242, 2008.

BRASIL. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2019. Estabelece os padrões de identidade e qualidade para os produtos de cervejaria. Brasília, Edição 239, Seção 1, p. 31, 2019.

BRASIL. DECRETO Nº 9.902, DE 8 DE JULHO DE 2019. Dispõe sobre a padronização, a classificação, o registro, a inspeção, a produção e a fiscalização de bebidas. Brasília - DF, jun 2019.

BRASIL. Manual de Métodos de Análises de Bebidas e Vinagres, caderno 4 Fermentados Alcoólicos. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento-MAPA. Secretaria de Defesa Agropecuária- SDA, Coordenação Geral de Apoio Laboratorial-CGAL, 2010.

BRUNELLI, L. T; MANSANO, A. R; VENTURINI FILHO, W. G. Caracterização físico-química de cervejas elaboradas com mel. Brazilian Journal of Food Technology, Campinas, v. 17, n. 1, p. 19–27, 2014.

DEMIATE, I. M.; WOSIACKI, G.; CZELUSNIAK, C.; NOGUEIRA, A. Determinação de Açúcares Redutores e Totais em Alimentos. Comparação entre Método Colorimétrico e Titulométrico. Publicatio UEPG – Exact and Soil Sciences, Agrarian Sciences and Engineering, v. 8, n. 1, p. 65-78, 2002. Disponível em: <:http://www.revistas2.uepg.br/index.php/exatas/article/view/772/677:>. Acesso em 18 jun. 2019.

EUROPEAN BREWERY CONVENTION (EBC). European Brewery Convention. Brussels, 2015. Disponível em: <:https://europeanbreweryconvention.eu/:>. Acesso em 18 jun. 2019.

FERNANDES, L. A.; VALADARES, R. V.; VALADARES, S. V.; RAMOS, S. J.; COSTA, C. A.; SAMPAIO, R. A.; ERNANE R. M. Fontes de potássio na produtividade, nutrição mineral e bromatologia do maxixe do reino. Revista Hortic. bras, v. 31, n. 4, p. 607-612, 2013.

FRANCESQUETT, J. Z.; COELHO, J. S. G.; SANTOS, C.; CASAGRANDE, I. C. Produção e análise físico-química de cervejas artesanais escuras, a partir de águas com diferentes características. Disponível em: <:www.santoangelo.uri.br/anais/ciecitec/2015/resumos/poster/844.docx:>. Acesso em 18 jun. 2019.

INSTITUTO ADOLF LUTZ (IAL). Normas Analíticas do Instituto Adolf Lutz, Métodos físicos e químicos para análise de alimentos. 4º ed., v. 1, 2008.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ (IAL). Métodos físico-químicos para análise de alimentos. 4º ed., v.1, 2008.

MORI, C; MINELLA, E. Aspectos econômicos e conjunturais da cultura da cevada. Embrapa trigo documentos online. n. 139, p.28, 2012.

NUNES FILHO, R. C.; SPINOSA, W. A.; BENASSI, M. T.; BARBETTA, P. V. C. Desenvolvimento e caracterização físico-química em cerveja artesanal estilo red ale com adição de especiarias. Revista Latino-Americana de Cerveja, v. 1, n. 1, p. 103, 2017.

ROSA, N. A.; AFONSO, J. C. A Química da Cerveja. Nova esc., v. 37, n. 2, p. 98-105, 2015.

ROSSONI, M. A.; VOGEL, C.; SANTOS, G. H. F. Processamento e análises físico-químicas de cerveja artesanal de trigo com adição de polpa de maracujá. Revista Latino-Americana de Cerveja, v. 1, n. 1, p. 250, 2017.

SANTA, O. R. D.; SILVA, M. D.; PACHECO, A. S.; FOLADOR, J. M.; CÓRDOVA, K. R. V. Produção de cerveja com adição de erva mate fermentada por Ganoderma lucidum. Revista Latino-Americana de Cerveja, v. 1, n. 1, p. 263, 2017.

SANTOS, T. L.; INABA, J.; VIANA, A. G. Avaliação da capacidade tamponante da saliva: uma aula prática de bioquímica. In. CONEX, 13º, 016, ISSN 2238-9113.

SCHUINA, G. L.; QUELHAS, J. O. F.; GRASSELLI, J. F.; BIANCHI, V. L. Avaliação do potencial de utilização de chá verde como substituto parcial ou total de lúpulo em cerveja tipo pilsner. Revista Latino-Americana de Cerveja, v. 1, n. 1, p. 52 2017.

SILVA, R. N.; MONTEIRO, V. N.; ALCANFOR, J. D’A. X.; ASSIS, E. M.; ASQUIERI, E. R. Comparação de métodos para a determinação de açúcares redutores e totais em mel. Ciênc. Tecnol. Aliment., v. 23, n. 3, p. 337-341, set 2003. Disponível em: <:http://www.scielo.br/pdf/cta/v23n3/18834.pdf:>. Acesso em 18 jun. 2019.

SOUSA, V. M.; FOGAÇA, L. C. S. Perfil Físico-Químico de Cervejas Artesanais e Industriais e Adequação dos Rótulos Quanto à sua Graduação Alcoólica. Id on Line Rev. Mult. Psic. v.13, n. 43, p. 440-447, 2019. Disponível: Acesso 29 maio 2019.

SOUZA, J.; CALLIARI, V.; SOARES, F. A. S. M.; AMPARO, H. C. Elaborar uma cerveja artesanal schwarzbier, a base do malte pilsen e black com três leveduras diferentes avaliando as características físico-químicas e a sua aceitabilidade sensorial. Revista Latino-Americana de Cerveja, v. 1, n. 1, p. 117, 2017.