Atitudes dos docentes de educação física frente à inclusão de alunos com deficiência física: uma revisão sistemática

Higor Moreira Franchini, Deyliane Aparecida de Almeida Pereira

Resumo


O termo “inclusão” se faz presente em nosso cotidiano, especialmente nas escolas, para que isto ocorra é preciso que os docentes tenham atitudes inclusivas. Este estudo teve como objetivo investigar as atitudes dos docentes frente à inclusão de alunos com deficiência física, disponíveis na literatura científica. A amostra foi composta por dez produções científicas, publicadas nos últimos 5 anos, em língua portuguesa, extraídos das bases de pesquisas SciELO e Google Acadêmico. As produções selecionadas continham as palavras-chaves “atitudes”, “Educação Física”, “deficientes físicos”, “vivência”, “experiência” e “ações pedagógicas”, combinadas pelo operador booleano “and”. Para seleção das produções foi realizada a leitura dos títulos e resumo, e aqueles que atendiam o objeto de investigação foram lidos na íntegra. Posteriormente, utilizou-se uma ficha resumo para extração das informações sobre as atitudes, aulas de educação física, vivências dos alunos, experiências dos professores e ações pedagógicas. A análise de conteúdo foi utilizada para agrupamento dos resultados.  A Educação Física Escolar deve contribuir para que os alunos experimentem, conheçam e apreciem as diferentes práticas corporais. Para isto, deve propiciar aos alunos deficientes ações inclusivas, que contribuam para o desenvolvimento cognitivo, motor e afetivo de cada aluno. Assim, é preciso que tenham atitudes positivas, tais como, segurança, adaptações de atividades, o respeito com o aluno, a conscientização e a igualdade, entretanto encontra-se também atitudes negativas, como, a falta de insegurança, recursos didáticos, espaços inadequados e a falta de suporte das escolas para o processo de inclusão.  Identificou-se que os docentes buscam estratégias que efetivem a participação dos alunos nas aulas e estimulam suas capacidades por meio de jogos. Observou-se que a consolidação das ações pedagógicas está relacionada à espaços escolares acessíveis e estruturas físicas adaptadas aos alunos deficientes. E, também, à formação dos professores, onde haja vínculo dos princípios teórico-prático, seja em processo de interação ou discussão com outros profissionais, descobrindo novas estratégias pedagógicas para um processo inclusivo no âmbito escolar. Diante do exposto, conclui-se que as atitudes dos docentes para inclusão de alunos com deficiência física precisam ser positivas, proporcionado ao discente à participação em práticas corporais, em conjunto com os demais alunos, por conseguinte, favorecendo o seu desenvolvimento integral e o aprendizado.


Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, M. S. A; SOUSA NETO, V. A; MELO, E. L. Alunos com deficiência na escola pública: inclusão de deficientes físicos nas aulas de educação física. Revista Redfoco, v. 3, n. 1, 2016.

ARANHA, M. S. F. Educação inclusiva: transformação social ou retórica? Inclusão: intenção e realidade. Marília: Fundepe, 2017, p. 37-60.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: Educação é a base. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Fundamental. 2017.

BRASIL. Ministério da Ação Social. Declaração de Salamanca e linha de ação sobre necessidades educativas especiais. 2. ed. Brasília, DF: Corde, 1997

BRASIL. Ministério da Educação. Lei 9394/96 - Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: 1996

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs). Educação Física. Ensino Fundamental. Terceiro e quarto ciclos. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. MEC/SECADI, 2008.

BRANCO, M. R; PARIZOTTO, Z. A. M. Discurso dos professores de Educação Física quanto a inclusão de alunos com deficiência: possibilidades ou conflitos? Horizontes-Revista de Educação, v. 4, n. 8, p. 80-98, 2016.

BELTRAME, T. S; RIBEIRO, J. Atitudes de graduandos em Educação Física do CEFID em face da inclusão de pessoas com necessidades educacionais especiais. R. da Educação Física/UEM, Maringá, v. 15, n. 2, p. 17-22, 2. sem. 2004.

DARIDO, S. C. Diferentes concepções sobre o papel da educação física na escola. Cadernos de Formação: Conteúdos e Didática de Educação Física, São Paulo, v. 1, p. 34-50, 2012.

FIORINI, M. L. S; MANZINI, E. J. Prática Pedagógica e Inclusão escolar: concepção dos Professores de educação física. Revista Sobama, Marília, v. 16, n. 2, p. 15-22, 2015.

GREGUOL, M; MALAGODI, B. M; CARRARO, A. Inclusão de Alunos com Deficiência nas Aulas de Educação Física: Atitudes de Professores nas Escolas Regulares1. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 24, n. 1, p. 33-44, 2018.

GORLA, J. I. Educação Física Especial: testes. Rolândia-Pr: Physical-Fisio, 1997.

MAGALHÃES, J. R. L; BIAZOTO, S. F; DA SILVA, J. M. A inclusão dos deficientes físicos nas aulas de educação física nos anos iniciais do ensino fundamental. Centro Universitário, v. 1, n. 1, 2018.

MAGALHÃES, L; JÚLIO, M. G; OLIVEIRA, A. L; FERREIRA, E. F. Educação física e deficiência física: capacitação e postura do professor diante a inclusão. Caderno Científico FAGOC de Graduação e Pós-Graduação, v. 1, n. 1, 2016.

MANTOAN, M. T. E. Inclusão escolar: o que é? por quê? como fazer?. Summus Editorial, 2015.

MARINHO, I. P. História da educação fisica e dos desportos no Brasil. Ministério da Educação e Saúde, Divisão de Educação Física, 1952.

PACHECO, J; ALVES, M. L. T; DUARTE, E. A formação inicial de professores de educação física acerca da inclusão. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 31, n. 3, p. 619-627, 2017.

RODRIGUES, D; RODRIGUES, L. L. Educação Física: formação de professores e inclusão. Práxis Educativa, v. 12, n. 2, p. 317-333, 2017.

ROSADAS, S. C. Atividade Física Adaptada e Jogos Esportivos para o Deficiente. Eu posso. Vocês duvidam? São Paulo: Atheneu, 1989.

SALVADOR, B. S. A inclusão escolar nas aulas de educação física: dificuldades dos professores. Universidade do Extremo Sul Catarinense – UNESC 2015.

SALLES, W. N; ARAUJO, D; FERNANDES, L. L. Inclusão de alunos com deficiência na escola: percepção de professores de educação física. Conexões: Educação Física, Esporte e Saúde, v. 13, n. 4, p. 1-21, 2015.

SASSAKI, R. K. Inclusão: o paradigma do século 21. Inclusão: Revista da Educação Especial, Secretaria de Educação Especial/MEC, Brasília, n. 01, p. 19-23, out. 2005

SASSAKI, R. K. Inclusão: acessibilidade no lazer, trabalho e educação. Revista Nacional de Reabilitação (Reação), São Paulo, v. 4, p. 10-16, mar./abr. 2009.

SASSAKI, R. K. Por falar em classificação de deficiências. Revista Brasileira de Tradução Visual, v. 12, n. 12, p. 1-9, 2012.

TEIXEIRA, J. A. L et al. Inclusão de alunos com necessidades especiais nas aulas de educação física: um relato de experiência. Revista Interdisciplinar, v. 12, n. 1, p. 95-102, 2019.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

VEIGA, I. P. A. Projeto político-pedagógico da escola: uma construção possível. Papirus Editora, 2013.