Prevalência de excesso de peso e da distorção de imagem em adolescentes de uma escola privada do Município de Muriaé - MG

Victor Hugo Vargas, Iury Antônio De Souza, Vanessa Sequeira Fontes

Resumo


Introdução: A obesidade é atualmente um dos principais problemas de saúde pública, sendo considerada uma epidemia global. Esta pode contribuir para a ocorrência de patologias e insatisfação corporal. Objetivo: Avaliar a prevalência do excesso de peso e da distorção da imagem corporal, assim como analisar os hábitos de vida de adolescentes. Material e métodos: Trata-se de um estudo transversal, descritivo, quantitativo realizado com 80 estudantes de um colégio da rede de ensino privada situado no município de Muriaé- MG. Foram inclusos no estudo os adolescentes que estavam matriculados no colégio, apresentavam de 10 e 19 anos, de ambos os gêneros e que apresentaram os termos necessários devidamente assinados. Os mesmos responderam a um questionário que continha questões sobre hábitos alimentares e comportamentais, passaram por avaliação antropométrica e por autoanálise do corpo mediante escala de silhuetas. Resultados: Cerca de 26,25% relataram o consumo de frutas e verduras em um único dia e 66,3% o consumo de bebidas adoçadas no dia anterior a pesquisa. Verificou-se excesso de peso em 43,2% dos meninos avaliados e em 25,5% das meninas. Cerca de 64,9% dos meninos avaliados encontravam-se insatisfeitos com o corpo atual e 45,8% destes eram eutróficos. Em relação as meninas, 58,1% relataram não se enxergarem com o corpo que desejavam e 47,4% daquelas que se viam acima do peso se encontravam eutróficas. Conclusão: Não houve prevalência de excesso de peso, e sim de eutrofia, entretanto verificou-se expressiva insatisfação corporal. Os adolescentes apresentaram hábitos alimentares e de vida que podem ser melhorados.

Palavras-Chave: Obesidade; Sedentarismo; Adolescência.


Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, L. M. M. et al. Estado nutricional, consumo de alimentos ultraprocessados e imagem corporal de adolescentes de uma escola privada do município de Juiz de Fora–MG. HU Revista, v. 45, n. 1, p. 40-46, 2019.

ASSIS, M. M. et al. Avaliação do conhecimento nutricional e comportamento alimentar após educação alimentar e nutricional em adolescentes de Juiz de Fora–MG. HU Revista, v.40, n.3 e 4, 2015.

BARUFALDI, L. A. et al. ERICA: prevalência de comportamentos alimentares saudáveis em adolescentes brasileiros. Revista Saúde Pública, v. 50, n. 1, p. 1s – 9s, 2016.

BVS APS - Biblioteca Virtual em Saúde da Atenção Primária em Saúde. Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes. Calculadora IMC infantil e adolescente. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Protocolos do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional – SISVAN na assistência à saúde. Brasília – DF, 2015. Disponível em: . Acesso em: 21 abr. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde: Norma Técnica do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional. Brasília: Ministério da Saúde, 2011. Disponível em: . Acesso em: 21 jul. 2020.

ENES, C. C.; SILVA, J. R. Associação entre excesso de peso e alterações lipídicas em adolescentes. Revista Ciência & Saúde Coletiva, v. 23, n.12, p. 4055-4063, 2018.

FERREIRA, M. A. et al. Saberes de adolescentes: estilo de vida e cuidado à saúde. Texto & Contexto Enfermagem, v. 16, n. 2, p. 217-224, 2007.

HERNANDES, F.; VALENTINI, M. P. Obesidade: causas e consequências em crianças e adolescentes. Conexões, v.8, n.3, 2010.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de orçamentos familiares 2008-2009: Antropometria e estado nutricional de crianças, adolescentes e adultos no Brasil. 2010. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2019.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de orçamentos familiares 2002–2003: Primeiros resultados: Brasil e grandes regiões. 2004. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2019.

IEPSEN, A. M.; SILVA, M. C. Prevalência e fatores associados à insatisfação com a imagem corporal de adolescentes de escolas do Ensino Médio da zona rural da região sul do Rio Grande do Sul, 2012. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 23, n. 2, p. 317-325, 2014.

JÚNIOR, J. C. F., et al. Prevalência de tempo excessivo de tela e fatores associados em adolescentes. Revista Paulista de Pediatria, v.33, n.4, p.407-414, 2015.

JUNIOR, M. S. G. et al. Fator de risco cardiovascular: a obesidade entre crianças e adolescentes nas macrorregiões brasileiras. RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, v. 12, n. 69, p. 132-142, 2018.

KESKI-RAHKONEN, A. et al. Breakfast skipping and health-compromising behaviors in adolescents and adults. European journal of clinical nutrition, v. 57, n. 7, p. 842-853, 2003.

LEAL, G. V. D. S. et al. Consumo de refrigerante e fatores associados pelos adolescentes. In: 6º Congresso Internacional em Saúde, 6 ed., Ijuí, 2019. Anais... Ijuí: Unijuí, 2019. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2019.

LEWALLEN, J., BEHM-MORAWITZ, E. Pinterest or Thinterest? Social Comparison and Body Image on Social Media. Social media + Society, v. 2, n. 1, p. 1 – 9, 2016.

LIMA, N. M. S. et al. Excesso de peso em adolescentes e estado nutricional dos pais: uma revisão sistemática. Revista Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, n.2, p. 627-636, 2017a.

LIMA, T. R. et al. Presença simultânea de excesso de peso e horas de sono insuficientes em adolescentes: prevalência e fatores correlatos. Revista Brasileira de Crescimento e Desenvolvimento Humano, v. 27, n. 2, p. 148-157, 2017b.

MATOS, A. M. et al. Consumo frequente de bebidas alcoólicas por adolescentes escolares: estudo de fatores associados. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 13, n. 2, p. 302-313, 2010.

MENDES, K. L.; CATÃO, L. P. Avaliação do consumo de frutas, legumes e verduras por adolescentes de Formiga–MG e sua relação com fatores socioeconômicos. Alimentos e Nutrição Araraquara, v. 21, n. 2, p. 291-296, 2010.

MESSIAS, C. M. B. O. et al. Consumo de frutas, legumes e verduras por adolescentes de uma escola pública de Petrolina-Pernambuco. Adolescência e Saúde, v. 13, n. 4, p. 81-88, 2016.

MIRANDA, V. P. N. et al. Insatisfação corporal, nível de atividade física e comportamento sedentário em adolescentes do sexo feminino. Revista Paulista de Pediatria, v. 36, n. 4, 482-490, 2018.

MUNIZ, L. C. et al. Prevalência e fatores associados ao consumo de frutas, legumes e verduras entre adolescentes de escolas públicas de Caruaru- PE. Ciência & Saúde Coletiva, v. 18, n. 2, p. 393-404, 2013.

PECHANSKY, F.; SZOBOT, C. M.; SCIVOLETTO, S. Uso de álcool entre adolescentes: conceitos, características epidemiológicas e fatores etiopatogênicos. Revista Brasileira de Psiquiatria. v. 26, supl. 1, p. 14-17, 2004.

PINTO, A. A. et al. Prevalência De Excesso De Peso E Fatores Demográficos E Econômicos Associados Em Adolescentes De Manaus, A Maior Cidade Do Norte Do Brasil. Revista de Atenção à Saúde, v. 16, n. 55, p. 64-71, 2018.

RANGEL, S. R. V.; FREITAS, M. P.; ROMBALDI, A. J. Atividade física e comportamento sedentário: prevalência e fatores associados em adolescentes de três escolas públicas de Pelotas/RS. BIOMOTRIZ, v. 9, n. 1, p. 186-202, 2015.

RENTZ-FERNANDES, A. R. et al. Autoestima, imagem corporal e depressão de adolescentes em diferentes estados nutricionais. Revista de Salud Pública, Bogotá, v.19, n.1, p.66-72, 2017.

REUTER, C. P. et al. Obesidade, aptidão cardiorrespiratória, atividade física e tempo de tela em escolares da zona urbana e rural de Santa Cruz do Sul-RS. Cinergis, v. 16, n. 1, p. 52-56, 2015.

ROBERTSON, L. A.; MCANALLY, H. M.; HANCOX, R. J. Childhood and adolescent television viewing and antisocial behavior in early adulthood. Pediatrics, v. 131, n. 3, p. 439-446, 2013.

SILVA, D. et al. Avaliação da insatisfação corporal e da auto-estima em crianças e adolescentes com diagnóstico de obesidade VS uma comunidade escolar. Revista Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo v. 1, p.23-31, 2009.

SILVA, D. et al. Nível de atividade física em adolescentes escolares do município de Rio Verde-Goiás. Revista Inspirar Movimento & Saúde, v. 16, n. 2, p. 20-25, 2018.

SILVA, T. A. B. et al. Frequência de comportamentos alimentares inadequados e sua relação com a insatisfação corporal em adolescentes. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, v. 61, n. 3, p. 154-158, 2012.

STUNKARD, ALBERT J. Use of the Danish Adoption Register for the study of obesity and thinness. Research publications - Association for Research in Nervous and Mental Disease. v. 60, p. 115-120, 1983.

TRANCOSO, S. C.; CAVALLI, S. B.; PROENÇA, R. P. C. Café da manhã: caracterização, consumo e importância para a saúde. Revista de Nutrição, v.23, n. 5, p. 859-869, 2010.

VAN LIPPEVELDE, W. et al. Associations between home-and family-related factors and fruit juice and soft drink intake among 10-to 12-year old children. The ENERGY project. Appetite, v. 61, n. 1, p. 59-65, 2013.

VRIES, D. A. et al. Adolescents’ social network site use, peer appearance-related feedback, and body dissatisfaction: Testing a mediation model. Journal of youth and adolescence, v. 45, n. 1, p. 211-224, 2016.

WHO - PROGRAMMES AND PROJECTS. The WHO Reference 2007: growth reference data for 5 – 19 years. Disponível em: . Acesso em 15 jun. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.