Influência da prática de hidroginástica no equilíbrio e independência funcional de mulheres idosas

Nicoli Bertti Zanin, Josiene Lima Mascarenhas, Romildo Torres-Silva, Fernando Francisco Pazello Mafra, Michel Monteiro Macedo

Resumo


RESUMO

Introdução: O aumento na expectativa de vida da população é um fenômeno global. O envelhecimento fisiológico compromete algumas funções dos sistemas orgânicos que estão diretamente ligados à manutenção do equilíbrio corporal. A hidroginástica é um exemplo de atividade aquática capaz de melhorar a mobilidade e amplitude articular, preservando o equilíbrio corporal. Objetivo: Este trabalho teve como objetivo investigar a influência da prática de hidroginástica no equilíbrio e independência funcional de mulheres idosas. Material e Métodos: A amostra foi composta por 31 mulheres com idade entre 60 e 70 anos: 15 integraram o grupo sedentário (GS) e 16 o grupo exercitado (GE). Para avaliar a habilidade de equilíbrio das idosas, foi utilizada a Escala de Equilíbrio de Berg e a Escala de Equilíbrio e Mobilidade de Tinetti. As voluntárias foram distribuídas de forma aleatória: as idosas do GS não praticavam atividade física regular, enquanto que as idosas do GE praticavam hidroginástica duas vezes por semana há, pelo menos, 6 meses. As escalas para avaliação do equilíbrio foram aplicadas em uma sala da faculdade, com dia e horário pré-agendados. Os dados foram apresentados em mediana e mínimo-máximo através do teste de Shapiro-Wilk e Mann-Whitney. Resultados: O GE apresentou maior pontuação comparado ao GS tanto na escala de Berg (p < 0,01), quanto na escala de Tinetti (p < 0,05). Conclusão: A prática regular de duas sessões semanais de hidroginástica é capaz de promover manutenção satisfatória nos níveis de equilíbrio em mulheres idosas. 

 


Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, J. B.; PAREDES, P. F. M.; GURGEL, L. A. Análise da efetividade de um programa de hidroginástica sobre o equilíbrio, o risco de quedas e o IMC de mulheres idosas. Rev Bras Ativ Fís Saúde, v.15, n.2, p.115-119, 2010.

AMERICAN COLLEGE OF SPORTS MEDICINE – ACSM. Diretrizes do ACSM para os testes de esforço e sua prescrição. 10ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2018.

AQUATIC EXERCISE ASSOCIATION – AEA. Aquatic fitness professional manual. 7ª ed. Champaign: Human Kinetics, 2017.

ARCA, E. A.; FIORELLI, A.; RODRIGUES, A. C. Efeitos da hidrocinesioterapia na pressão arterial e nas medidas antropométricas em mulheres hipertensas. Rev Bras Fisioter, v.8, n.2, p.279-283, 2004.

BARIN, K.; DODSON, E. E. Dizziness in the elderly. Otolaryngol Clin North Am, v.44, n.2, p.437-445, 2011.

BARNETT, A.; SMITH, B.; LORD, S. R.; WILLIAMS, M.; BAUMAND, A. Community-based group exercises improves balance and reduces falls in at-risk older people: a randomised controlled trial. Age Ageing, v.32, n.4, p.407-414, 2003.

BONACHELA, V. Manual básico de hidroginástica. 2ª ed. Rio de Janeiro: Sprint, 1999.

BOOTH, C. E. Water exercise and its effects on balance and gait to reduce the risk of falling in older adults. Activities, Adaptation & Aging, v.28, n.4, p.45-57, 2004.

BRITO, F. C.; LITVOC, J. Envelhecimento – prevenção e promoção de saúde. 1ª ed. São Paulo: Atheneu, 2004.

CARVALHO, G. A.; PEIXOTO, N. M.; CAPELLA, P. D. Análise comparativa da avaliação funcional do paciente geriátrico institucionalizado por meio dos protocolos de Katz e Tinetti. Rev Digital Efdeports, v.12, n.114, 2007.

DE PAULA JR, N. F.; DOS SANTOS, S. M. A. Epidemiologia das quedas acidentais em idosos: levantamento do período de 2003 a 2012. Rev Min Enferm, v.19, n.4, p.994-1004, 2015.

DEVEREUX, K.; ROBERSTON, D.; BRIFFA, N. K. Effects of a water-based program on women 65 years and over: a randomized controlled trial. Aust J Physiother, v.51, n.2, p.102-108, 2005.

FREITAS, E. V.; PY, L. Tratado de geriatria e gerontologia. 4ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2016.

GREGG, E. W.; PEREIRA, M. A.; CASPERSEN, C. J. Physical activity, falls, and fractures among older adults: A review of the epidemiologic evidence. J Am Geriatr Soc, v.48, n.8, p.883-893, 2000.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Tábua completa de mortalidade para o Brasil – 2017: breve análise da evolução da mortalidade no Brasil. Rio de Janeiro, 2018.

KURA, G. G.; RIBEIRO, L. S. P.; NIQUETTI, R.; TOURINHO FILHO, H. Nível de atividade física, IMC e índices de força muscular estática entre idosas praticantes de hidroginástica e ginástica. Rev Bras Cien Envelh Hum, v.7, n.2, p.30-40, 2004.

LORD, S. R.; MATTERS, B.; GEORGE, R. S. The effects of water exercise on physical functioning on older people. Aust J Ageing, v.25, n.1, p.36-41, 2006.

MATSOUKA, O.; KABITSIS, C.; HARAHOUSOU, Y.; TRIGONIS, I. Does a three month exercise programme enhance the subjective view of mobility level amongst elderly women? J Hum Mov Stud, v.44, n.5, p.373-385, 2003.

MENEZES, C.; VILACA, K. H. C.; MENEZES, R. L. Quedas e qualidade de vida de pessoas com catarata. Rev Bras Oftalmol, v.75, n.1, p.40-44, 2016.

PIMENTEL, R. M.; SCHEICHER, M. E. Comparação do risco de queda em idosos sedentários e ativos por meio da escala de equilíbrio de Berg. Fisioter Pesqui, v.16, n.1, 2009.

RESENDE, S. M.; RASSI, C. M.; VIANA, F. P. Efeitos da hidroterapia na recuperação do equilíbrio e prevenção de quedas em idosas. Rev Bras Fisioter, v.12, n.1, p.57-63, 2008.

ROCHA, C. A. Q. C.; ROCHA, L. A. A. C.; OLIVEIRA, M. A. C. A.; COSTA, J. A.; FÓFANO, G. A.; SEGHETO W. Marcha de Idosos: um estudo em instituições asilares. Rev Cient FAGOC – Saúde. v.3, n.1, p.26-34, 2018.

RUOTI, R. G.; TROUP, J. T.; BERGER, R. A. The effects of nonswimming water exercise on older adults. J Orthop Sports Phys Ther, v.19, n.3, p.140-145, 1994.

RUWER, S. L.; ROSSI, A. G.; SIMON, L. F.; Equilíbrio no idoso. Rev Bras Otorrinolaringol, v.71, n.3, p.298-303, 2005.

SCHENATTO, P.; MILANO, D.; BERLEZI, E. M.; BONAMIGO, E. C. B. Relação da aptidão muscular e amplitude articular, por faixa etária, na marcha do idoso. Rev Bras Geriatr Gerontol, v.12, n.3, p.377-389, 2009.

SHARKEY, B. J.; GASKILL, S. E. Fitness and health. 7ª ed. Champaign: Human Kinetics, 2013.

SIMMONS, V.; HANSEN, P. D. Effectiveness of water exercise on postural mobility in the well elderly: an experimental study on balance enhancement. J Gerontol A Biol Sci Med Sci, v.51, n.5, p.M233-238, 1996.

SOARES, A. V.; MATOS, F. M.; LAUS, L. H.; SUZUKI, S. Estudos comparativos sobre a propensão de quedas em idosos institucionalizados e não institucionalizados através do nível de mobilidade funcional. Fisoter Bras, v.4, n.1, p.12-16, 2003.

SOUZA JR, R. O.; DEPRÁ, P. P.; SILVEIRA, A. M. Efeitos da hidroginástica com exercícios dinâmicos em deslocamento sobre o equilíbrio corporal de idosos. Fisioter Pesqui, v.24, n.3, 2017.

SUOMI, R.; KOCEJA, D. M. Postural sway characteristics in women with lower extremity arthritis before and after an aquatic exercise intervention. Arch Phys Med Rehabil, v.81, n.6, p.780-785, 2000.

TANAKA, E. H.; SANTOS, P. F.; REIS, J. G.; RODRIGUES, N. C.; MORAES, R.; ABREU, D. C. C. Is there a relationship between complaints of impaired balance and postural control disorder in community-dwelling elderly women? A cross-sectional study with the use of posturography. Braz J Phys Ther, v.19, n.3, p.186-193, 2015.

TEIXEIRA, C. S.; LEMOS L. F. C.; LOPES, L. F. D.; ROSSI, A. G.; MOTA, C. B. Equilíbrio corporal e exercícios físicos: uma investigação com mulheres idosas praticantes de diferentes modalidades. Acta Fisiátr, v.15, n.3, p.156-159, 2008.

TEIXEIRA, C. S.; PEREIRA, E. F.; ROSSI, A. G. A Hidroginástica como meio para manutenção da qualidade de vida e saúde do idoso. Acta Fisiátr, v.14, n.4, p.226-232, 2007.

WITTER, C.; BURITI, M. A. Envelhecimento e contingências de vida. 1ª ed. Campinas: Alínea, 2011.

ZAGO, A. S. Exercício físico e o processo saúde-doença no envelhecimento. Rev Bras Geriatr Gerontol, v.13, n.1, p.153-158, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.