Análise da presença de alimentos com propriedades funcionais nos cardápios de uma Unidade de Alimentação e Nutrição de um Hospital Oncológico

Elaine Estevam, Bruna Castro Costa Lima

Resumo


Entre os fatores alimentares correlacionados à prevenção do câncer, tem sido amplamente discutido o consumo de alimentos funcionais. Em Unidades de Alimentação e Nutrição (UAN), o cardápio é uma ferramenta do nutricionista e pode contribuir para a introdução desses alimentos, na tentativa de promover a educação nutricional e a prevenção de doenças ou minimizar as consequências de doenças já instaladas. Considerando a importância dos alimentos funcionais para a manutenção da saúde e a relação destes com a prevenção do câncer, o objetivo do presente estudo foi avaliar a presença de alimentos com propriedades funcionais nos cardápios da UAN de um hospital oncológico em Muriaé-MG. Entre as frutas, a laranja é mais presente no cardápio (28,72%), seguida pela banana (14,36%). Também são frequentes o alho (100%) e a cebola (100%), que são utilizados diariamente como tempero natural dos alimentos, e o feijão (100%), que é parte do hábito alimentar cotidiano do brasileiro. Têm presença evidente o tomate (41,43%), a cenoura (40,33%) e o milho (30,38%). Destacam-se entre as verduras a couve (20,99%) e a alface (19,88%). Verifica-se que a UAN utiliza uma boa variedade de alimentos com propriedades funcionais no cardápio, sendo um fator que pode proporcionar benefício à saúde dos comensais. É importante enfatizar que a preocupação com ações preventivas em relação ao câncer deveria fazer parte do cotidiano dos administradores hospitalares, contribuindo para a saúde pública.

Palavras chave: Alimento funcional; câncer; cardápio.


Texto completo:

PDF

Referências


AMERICAN DIETETIC ASSOCIATION. Position of the American Dietetic Association: Functional Foods. J. Am. Dietet. Assoc. 2004.

ANJO, D.L.C. Alimentos funcionais em angiologia e cirurgia vascular. Jorn. Vasc. Bras. v. 3, n. 2, p. 145- 154, 2004.

BASHO, S.M; BIN, M.C. Propriedades dos alimentos funcionais e seu papel

na prevenção e controle da hipertensão e diabetes. Revista Interbio, v. 4, n. 1, p. 48-58, 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira. 2. ed., 1. reimpr. Brasília: Ministério da Saúde, 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Vigitel Brasil 2018 -Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico: estimativas sobre frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal em 2018. Brasília: Ministério da Saúde, 2019.

COSTA, N.M.B.; ROSA, C.O.B. Alimentos funcionais – componentes bioativos e efeitos fisiológicos. Rio de Janeiro: Ed. Rubio, 2016.

GAROFOLO, A. et al. Dieta e câncer: um enfoque epidemiológico. Rev. Nutr., v. 17, n. 4, p. 491-505, 2004.

HYPOLITO, K.P.P.; RIBEIRO, K.A.R. Importância da Nutrição na Prevenção e no Tratamento de Neoplasias. Interciência & Sociedade, v. 3, n.2, p. 51-59, 2014.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Pesquisa de orçamentos familiares 2017-2018: primeiros resultados. Rio de Janeiro: IBGE, 2019.

LAUTER, D.S. et al. Câncer de mama: estudo caso controle no Sul do Brasil. Rev. Ciênc & Saúde, v. 7, n. 1, p. 19-26, 2014.

LUIZETTO, E. M et al. Alimentos funcionais em alimentação coletiva: reflexões acerca da promoção da saúde fora do domicílio. Rev. Nutrire, v. 40, n.2, p.188-199, 2015.

MARTINS, J.M.; BENTO, O.P. Legumes as functional foods: the case of dyslipidemia and cardiovascular diseases. Rev. Ciências Agrárias, v. 30, n. 1, p. 385-399, 2007.

MORAES, F.P.; COLLA, L.M. Alimentos Funcionais e Nutracêuticos: Definições, legislação e benefícios à saúde. Rev. Eletr. Farmácia, v.3, n.2, p.109-122, 2006.

OLIVEIRA, M. K.; ROSA, S. A. M. Alimentos Funcionais e sua utilização no cardápio de um restaurante universitário em uma instituição pública de Fortaleza - CE. In: Fernando César Rodrigues Brito; Marta da Rocha Moreira; Vanessa Duarte de Morais. (Org.). Tópicos em Nutrição Clínica e Funcional. 1ed. Fortaleza: Núcleo de Publicações Acadêmico-Científicas, v.1, p. 1-147, 2017.

PADILHA, P.C.; PINHEIRO, R.L. O Papel dos Alimentos Funcionais na Prevenção e Controle do Câncer de Mama. Rev. Bras. Cancerol., v. 50, n. 3, p. 251-260, 2004.

PAULA, A. L.; ESTEVAM, E. Avaliação qualitativa das técnicas de cocção e tipos de carne ofertados em um cardápio institucional. In: Anais do XIV Encontro Internacional de Iniciação Científica e XIII Encontro de Pós-graduação UNIFAMINAS Muriaé. Rev. Cient. da Faminas, v. 14, supl. 1, p. 66, 2017.

PAULA, A. L.; ESTEVAM, E.; QUINTAO, D. F. Oficina culinária como ferramenta de Educação Nutricional para colaboradores de uma Unidade de Alimentação e Nutrição. In: XIV Encontro Internacional de Iniciação Científica do UNIFAMINAS e XI Encontro de Pós-Graduação do UNIFAMINAS Muriaé. Rev. Cient. da Faminas, 2017.

PAULA, A.L.; ESTEVAM, E., DA SILVA, D.C.G. Avaliação qualitativa dos cardápios oferecidos aos colaboradores de uma instituição hospitalar em Muriaé/MG. Rev. Nutrição Brasil, v.17, n.2, p.97-103, 2018.

PEREIRA, M.A.B.C. Avaliação do consumo de alimentos funcionais em uma unidade hospitalar de alimentação e nutrição na cidade de Aracaju/SE. 2017.20 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Nutrição) – Universidade Federal de Sergipe, 2017.

PERIN, L.; ZANARDO, V. P. S. Alimentos funcionais: Uma possível proteção para o desenvolvimento do câncer. Rev. Perspectiva, v.37, n.137, p.93-101, 2013.

PHILIPPI, S. T. et al. Pirâmide alimentar adaptada: guia para escolha dos alimentos. Rev. Nutr., v. 12, n. 1, p. 65-80, 1999.

QUEIROZ, P. W. V.; COELHO, A. B. Alimentação fora de casa: Uma investigação sobre os determinantes da decisão de consumo dos domicílios brasileiros Análise Econômica, v. 35, n. 67, p. 67-104, 2017.

RAMIREZ, Y. P. G.; MOREIRA, R. R. D.; OLIVEIRA, J. R. S. Avaliação de cardápio e identificação de alimentos funcionais: estudo qualitativo de restaurante popular de Araraquara, São Paulo, Brasil. Seg. Alim. e Nutric., v. 23, n.1, p.859-867, 2016.

ROCKENBACH, I.I et al. Ácidos fenólicos e atividade antioxidante em fruto de Physalis peruviana L. Alim. Nutr. v. 19, n.3, p. 271-276, 2008.

SANTOS, W. P. C. et al. Prospecção tecnológica de leguminosas na produção de alimentos funcionais destinados ao setor de panificação e confeitaria. Cad. Prospec., v. 10, n. 4, p. 919-933, 2017.

SARTORI, G.V.; DA COSTA, C. N.; RIBEIRO, A.B. Conteúdo fenólico e atividade antioxidante de polpas de frutas congeladas. Rev. Bras. Pesq. em Alimentos v. 5, n. 3, p. 23-29, 2014.

TAVARES, T.M.; TERRA, T. G. R. Fibra dietética e sua capacidade antioxidante. REAS - Rev. Eletr. Acervo Saúde, v. 10, n. 1, p. 1581-87, 2018.

VEIROS, M.B.; PROENÇA, R.P.C. Avaliação Qualitativa das preparações do cardápio de uma unidade de alimentação e nutrição. Rev. Nutr. Pauta, v. 13, n. 2, p. 36-42, 2003.

VERLY JUNIOR, E. et al. Adesão ao guia alimentar para população brasileira. Rev. Saúde Pública, v. 47, n. 6, p.1021-1027, 2013.

VIEIRA, E.C. Alimentos Funcionais. Rev. Med. Minas Gerais, v. 13, n.4, p. 260-262, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.