A opinião de adolescentes sobre a prática do Goalball como conteúdo da Educação Física no Ensino Médio

Isadora Torralvo de Andrade Lorijola, Johnny Fernandes da Silveira, Fernando Tadeu Serra

Resumo


Para alcançar as suas diretrizes educacionais, a Educação Física Escolar deve abordar práticas diversificadas da cultura corporal do movimento, desenvolvidas com metodologias e objetivos claros e que representem algum sentido aos estudantes. Neste contexto, o Goalball é uma atividade capaz de apresentar ao adolescente algumas particularidades experimentadas pelo deficiente visual, além de auxiliar no desenvolvimento sensitivo, motor e espaço-temporal dos estudantes do ensino Médio. Apesar disso, este esporte paralímpico ainda é pouco utilizado como conteúdo das aulas de Educação Física. Sendo assim, este estudo analisou a opinião de 234 estudantes do Ensino Médio sobre a prática do Goalball como conteúdo da Educação Física Escolar. Mediante a aplicação de um questionário de autoria própria foi observado que 73% dos participantes nunca ouviram falar do Goalball. Somente 7% de estudantes não se interessaram em nenhum momento pela atividade aplicada na aula de Educação Física, enquanto 88% expressaram que gostaram da prática. Além disso, 82% dos adolescentes avaliados mencionaram que se sentiram satisfeitos ao praticarem o Goalball e mais da metade o realizariam novamente nas aulas de Educação Física. Diante desses resultados, concluímos que o Goalball é um conteúdo que desperta o interesse e satisfaz o estudante do Ensino Médio.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMADA, R. R. Uma proposta de ensino do Goalball nas escolas: a visão dos professores e alunos. Dissertação (mestrado). Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Física. Campinas, p. 212. 2017.

AMORIM FILHO, M. L. D; RAMOS, G. N. S. Trajetória de vida e construção dos saberes de professoras de educação física. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 24, n. 2, p. 223–238, 2010.

BORGMANN, T. O ensino do esporte paralímpico na escola a partir da visão dos professores: o caso do goalball e do voleibol sentado. Dissertação (mestrado). Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Física. Campinas, p. 133. 2013.

BORGMANN, T.; GAVIÃO DE ALMEIDA, J. J. Esporte paralímpico na escola: revisão bibliográfica. Movimento (ESEFID/UFRGS), v. 21, n. 1, p. 53-68, 2015.

BRANDOLIN, F.; KOSLINSKI, M.; SOARES, A. J. G. A percepção dos alunos sobre a educação física no ensino médio. Revista da Educação Física/UEM, v. 26, n. 4, p. 601, 2015.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do Ensino Fundamental – Educação física. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1997. 96p. Disponível em: . Acesso em: 31 mar. 2018.

CARA, S.; SAAD, M. A. Os motivos de desinteresse pelas aulas de Educação Física dos alunos da 1a série do ensino médio de uma escola de Xanxerê. Revista Digital, Buenos Aires, v. 16, n. 160, 2011.

CARVALHO, S. F.; NISTA-PICCOLO, V. L.; MOREIRA, W. W.; NUNES, H. C. B. Transmissão de ideias sobre o corpo humano pelo professor de Educação Física escolar e reações percebidas nos alunos. Motricidade, v. 8, n. 1, p. 67–77, 2012.

CIDADE, R. E.; FREITAS, P. S. Educação física e inclusão: considerações para a prática pedagógica na escola. Integração, v. 14, p. 27-30, 2002.

COMUNICAÇÃO, N. de. Goalball. Sesi Esporte. 05 fev. 2019. Disponível em: . Acesso em: 02 jan. 2019.

DOS SANTOS FERREIRA, M. L.; GRAEBNER, L.; MATIAS, T. S. Percepção de alunos sobre as aulas de educação física no ensino médio. Pensar a Prática, v. 17, n. 3, 2014.

FALKENBACH, A. P.; LOPES, E. R. Professores de educação física diante da inclusão de alunos com deficiência visual. Pensar a Prática, v. 13, n. 3, 2010.

FERNANDES, L. L.; SCHERER, R. L.; RODRIGUES, L. A.; VASCONCELOS, M. P. Projeto sábado no campus: esportes adaptados e o goalball na formação acadêmica. Extensio: Revista Eletrônica de Extensão, v. 8, n. 11, 2011.

IMPOLCETTO, F. M.; TERRA, J. D.; ROSARIO, L. F. R.; DARIDO, S. C. As práticas corporais alternativas como conteúdo da educação física escolar. Pensar a Prática, v. 16, n. 1, p. 267–281, 2013.

KOBAL, M. C. Motivação intrinseca e extrinseca nas aulas de educação fisica. 1996. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), 1996. Disponível em: . Acesso em: 03 dez. 2018.

MARQUES, R. F. R.; DUARTE, E.; GUTIERREZ, G. L.; ALMEIDA, J. J. G.; MIRANDA, T. J. Esporte olímpico e paraolímpico: coincidências, divergências e especificidades numa perspectiva contemporânea. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 23, n. 4, p. 365–377, 2009.

MAZZARINO, J. M.; FALKENBACH, A.; RISSI, S. Acessibilidade e inclusão de uma aluna com deficiência visual na escola e na educação física. Revista Brasileira de Ciências do Esporte (Impresso), 2011.

MILLEN NETO, A. R.; DA CRUZ, R..; SALGADO, S.; CHRISPINO, R.; SOARES, A. J. Evasão escolar e o desinteresse dos alunos nas aulas de Educação Física. Pensar a Prática, v. 13, n. 2, p. 1–15, 2010.

NEVES, C. G. B.; BRANDÃO, G. M.; ARAGÃO, M. C. Goalball como prática escolar no modelo de escola inclusiva. In: VI Coóquio Internacional: Educação e contemporaneidade, São Cristovão-SE, Brasil. Anais. São Cristovão-SE, Brasil: 2012. Disponível em: . Acesso em: 06 nov. 2018.

SALERNO, M. B.; ARAÚJO, P. F. de. Esporte adaptado como tema da educação física escolar. Conexões, v. 6, p. 212–221, 2008.

SCHERER, R. L.; RODRIGUES, L. A.; FERNANDES, L. L. Contribuição do goalball para a orientação e mobilidade sob a percepção dos atletas de goalball. Pensar a Prática, v. 14, n. 3, p. 1–15, 2011.

SMEL. Programa Mogi Paralímpico atende mais de 500 pessoas com deficiência com prática esportiva. Disponível em: . Acesso em: 02 jun. 2019.

SOUZA, G. C.; ARRUDA, L. C. A prática do basquetebol em cadeira de rodas na cidade de Catalão-GO: um olhar sobre a inclusão a partir de seus praticantes. In: V Congresso Centro-Oeste de Ciências do Esporte e I Congresso Distrital de Ciências do Esporte, Brasília, DF. Anais. Brasília, DF: 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.